Ciclismo brasileiro dá exemplo de sustentabilidade
Atleta Diego Ares, da Memorial, cumpre punição com gesto de nobreza e seriedade pelo esporte

Com uma punição aplicada pela comissária internacional da UCI, Dorothy Abbott, devido ter jogado uma embalagem de gel repositor na rodovia durante a segunda etapa da Volta Ciclística do RS, Diego Ares, que defende a Memorial, teve que optar por pagar uma multa de 30 Francos Suíços ou recolher uma sacola de resíduos também jogados na mesma rodovia para se livrar da punição aplicada.

Diego, demonstrando uma ação de nobreza e seriedade pelo esporte, decidiu recolher os objetos na rodovia e garante que a escolha não foi apenas para se livrar da multa: “reconheço que não é legal jogarmos lixo durante as competições de ciclismo. Decidi esta opção, não apenas para me livrar da multa, que ficaria em torno de R$80, mas principalmente para dar exemplo a todos os ciclistas que estão no evento não jogarem nenhum tipo de objeto ou lixo nas estradas durante as competições”, declarou Diego.

A comissária também enalteceu o brasileiro e ficou surpresa pela atitude tomada. Segundo Dorathy Abbott, o ciclismo também pode e deve ser sustentável, e a atitude do brasileiro servirá como exemplo para os demais atletas.

A Volta Ciclística Internacional do Rio Grande do Sul é uma organização da Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) e Federação Gaúcha de Ciclismo (FGC), com supervisão da União Ciclística Internacional (UCI) e patrocínio da Caixa Econômica Federal. Todas as informações do evento estão disponíveis no hotsite oficial: www.cbc.esp.br/voltars2014


ASSESSORIA DE IMPRENSA
CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CICLISMO

 
 
 
   
Liga Santista de Ciclismo
Filiada.:
Tel.: (13) 99711-1779
E-mail: lsciclismo@lsciclismo.com.br
 
Desenvolvido por : Portal Weeb.com